“As mudanças são tão profundas que nunca houve um momento tão potencialmente promissor ou perigoso” Klaus Schwab

No livro de Markus J. Thannhuber entituado The Intellegent Enterprise: Theorical Concepts and Practical Implications, temos uma importante descrição do contexto onde as empresas estão se tornando mais inteligentes:

Nos ambientes competitivos de hoje, as empresas enfrentam uma redução na expectativa de vida do mercado, aumentando a pressão sobre as margens de lucro e os requisitos de clientes cada vez mais complexos.

Assim, em suas operações, as organizações modernas precisam encontrar um equilíbrio de alto nível entre dinâmica, complexidade e precisão para melhor utilizar seus mercados. Em outras palavras: precisa se tornar inteligente.

A Teoria da Organização e a Administração como disciplinas disponíveis para ajudar as empresas a lidar com esse desafio, logo identificaram as otimizações de processos como a chave para possíveis soluções.

Muitos esforços foram realizados para fornecer modelos teóricos sólidos para lidar com a complexidade e a dinâmica para simplificar os processos de negócios. E dentro deste contexto, o conhecimento foi identificado como um importante fator de produção.

Até por que no mundo dos negócios, o valor agregado é gerado principalmente pelas habilidades intelectuais da força de trabalho de uma empresa. Aliado a isso, temos uma verdadeira revolução nos avanços tecnológicos atuais que estão cada vez mais acessíveis para as empresas.

COMO A TECNOLOGIA TEM AUXILIADO AS EMPRESAS FICAREM CADA VEZ MAIS INTELIGENTES?

“Estamos a bordo de uma revolução tecnológica que transformará fundamentalmente a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. “

 Klaus Schwab

Algumas Inovações tecnológicas em curso estão revolucionando as empresas, seus produtos e seus serviços. Tecnologias como inteligência artificial, robótica, internet das coisas, veículos autônomos, impressão em 3D, nanotecnologia, biotecnologia, armazenamento de energia e computação quântica estão puxando essa revolução de grande velocidade e amplitude.

Novos materiais estão surgindo, destacam-se atualmente os nanomateriais como o grafeno que são 200 vezes mais forte que o aço, milhões de vezes mais fino que um cabelo humano e um eficiente condutor de calor e eletricidade.

Especialistas afirmam que não apenas as empresas mas também os veículos, as casas, os hospitais, as escolas e as cidades se tornaram cada vez mais ‘inteligentes’ e dialógicas.

Controle da energia, ventilação, arcondicionado, áudio e vídeo, eletrodomésticos, sistemas de segurança, robôs para serviços domésticos farão parte de nossas casas e empresas do futuro.

Até as cidades conectarão serviços, redes públicas e estradas à internet. A primeira cidade com mais de 50 mil pessoas e sem semáforos será uma realidade até 2025.

O custo da energia renovável está caindo mais rapidamente do que os analistas previram poucos anos atrás e ficará com 86 por cento dos US$ 10,2 trilhões que serão investidos na geração de eletricidade até 2040.

Assim como, os governos em breve irão substituir o censo por fontes de big data com análise, captura, pesquisa, compartilhamento, armazenamento, transferência, visualização e informações sobre privacidade de dados.

MEGATENDÊNCIAS E PONTOS DE INFLEXÃO

“Em sua escala, alcance e complexidade, a transformação será diferente de qualquer coisa que o ser humano tenha experimentado antes” Klaus Schwab

Para onde apontam essas megatendências? Para responder sobre o futuro, é importante olhar as mudanças que já estão acontecendo agora no presente pois o uso de muitas delas se tornarão frequentes em nossa rotina:

Em 2015, Angela Merkel, anunciou um investimento de US$ 216 milhões em projetos acadêmicos, governamentais e particulares para incentivar pesquisas voltada a tornar as empresas mais inteligentes. Vale lembrar, que a Alemanha é um dos maiores promotores da Industria 4.0 atualmente.

Dados publicados também em 2015 pela Accenture apontavam que, só no Reino Unido, a Indústria 4.0 injetaria US$ 14,2 trilhões na economia mundial em um prazo de 15 anos.  Praticamente US$ 1.000.000.000.000,00 por ano. US$ 531 bilhões ficará na terra da Rainha.

Esses valores seriam relativos à economia de energia e melhoras nas linhas de produção, decorrentes da implementação de diversos serviços de gerenciamento tecnológico de recursos. Mas também fomenta o desenvolvimento de novas tecnologias que serão utilizadas pelas empresas interligentes e seus clientes.

Até 2025, 10% das pessoas  terão suas roupas conectadas à internet. As tecnologias que se encontram nos celulares estarão integrada em roupas e acessórios.

Óculos, lentes/fones de ouvido e dispositivos de rastreamento podem se tornar ‘inteligentes’ e levar os olhos e a visão a se tornarem a conexão com a internet e os dispositivos conectados.

Por exemplo, o primeiro telefone celular implantável poderá estar disponível comercialmente até 2025. Sim, teremos dispositivos implantados no corpo permitindo a comunicação, localização e o monitoramento da saúde.

Até lá estima-se que 90% das pessoas terão acesso ao armazenamento de dados ilimitados e gratuito. Usuários terão acesso a plataformas (nuvens) para armazenar os seus dados gratuitamente sem se preocupar em ‘apagar’ para liberar mais espaço.

Sensores inteligentes para monitorar ‘tudo’ conectado à internet – percepção do ambiente de forma integral algo em torno de 1 trilhão de sensores conectados à internet.

Assistentes digitais já reconhecem os clientes de uma empresa pelo rosto e pela voz em todos os canais de comunicação. Google Now, Siri e Cortana estão ganhando inteligência e são os precursores dos assistentes virtuais que serão criados para aprender por si mesmos.

Em 2018, seis bilhões de coisas estarão conectadas  e emm 2021, um milhão de novos dispositivos da Internet das Coisas serão comprados a cada hora. O que acontecerá quando estas “coisas” necessitarem de ajuda e suporte?

As empresas terão que desenvolver estratégias e mecanismos de resposta diferentes do que quando se comunicam e resolvem problemas para os humanos.

QUAIS SETORES EMPRESARIAS ESTÃO FICANDO MAIS INTELIGENTES?

“A questão para todas as indústrias e empresas, sem exceção, não é mais ‘haverá ruptura em minha empresa?’, mas ‘quando ocorrerá a ruptura, quando irá demorar e como ela afetará a mim e a minha organização?” Klaus Schwab

As empresas estão se tornando mais inteligentes pois estão explorando o poder das novas tecnologias para transformar suas operações de negócios. Toda cadeia produtiva está sendo afetada, da venda à entrega, do projeto à fabricação, os processos estão ficando mais inteligentes e digitais:

 

Varejo e Comércio:

Em média, atualmente, apenas 65% dos estoques administrados por softwares de gestão dos lojistas estão corretos.  Avanços tecnológicos em áreas como visão por computador, RFID e aprendizagem automática estão possibilitando um rastreamento mais preciso ao permitir que os estoques sejam “vistos” e estejam conectados, em vez de serem simplesmente gerenciados manualmente.

 

Transporte e Logística:

Usando dados coletados nas docas em conjunto com dispositivos móveis e software de análise de cargas, gerentes de armazéns e plataformas possuem uma visão em tempo real de cada veículo para garantir que seus carregamentos usem seu pleno potencial e otimizem as entregas.

No mundo on-demand de hoje, consumidores esperam tempos de entrega menores e, por outro lado, cresce o número de entregas. Dispositivos móveis e soluções de IoT estão permitindo que se atendam a essa demanda de forma mais eficiente, pontual e sem problemas.

Industria de Manufatura:

Até 2019, haverá uma taxa de crescimento anual composta de 64,1% nas vendas de impressora 3D para empresas, o que exigirá uma reformulação dos processos de linha de montagem e de cadeia de suprimentos para explorar essa tecnologia.

A impressão 3D terá uma expansão constante ao longo dos próximos 20 anos, seja nos materiais que podem ser impressos, melhora na velocidade com que os itens podem ser impressos e surgimento de novos modelos para imprimir e montar peças de compósitos.

Com o surgimento das impressoras 3D, viveremos em breve em um mundo em que o cliente poderá solicitar, e o caminhão de entrega fará sua impressão enquanto estiver se encaminhando para a casa do cliente.

 COMO AS EMPRESAS INTELIGENTES VÃO SE COMPORTAR?

“A inteligencia é caracterizada por uma incomprensão natural da vida.” Henri Bergson

Em 2018, mais de 3 milhões de trabalhadores em todo o mundo serão supervisionados por um “robô-gestor”, que irá processar mais rapidamente métricas de desempenho e também exercer funções de supervisão e tomar decisões sobre recursos humanos e política de incentivos.

Hierarquias flexíveis, novas formas de medir e recompensar o desempenho, novas estratégias para atrair e reter os talentos competentes. Empresas de todas as partes do mundo transmitirão dados dinamicamente para sua força de trabalho em tempo real.

Você será capaz de conduzir suas operações na mesma velocidade que puder coletar dados. Assim como hoje já é possível tomar decisões em tempo real. Basta ter a visibilidade sobre as coisas que estiverem realmente acontecendo à medida que elas acontecerem e você poderá reagir em tempo real. Na gestão da produção isto já é possível qual a utilização de Sistemas!

A nova realidade é que o acesso a dados em tempo real – de pessoas, processos, dispositivos e sensores conectados à Internet – está revolucionando o modo como interagimos entre nós e com o mundo.

Não existem limites para uma organização considerada inteligente, ela arrisca, abre fronteiras, é flexível e permeável. Visando a maximizar e otimizar o fluxo de informações vê nos problemas e nas novas experiências oportunidades.

Desta forma abrem se novos cenários organizacionais com a redução dos níveis hierárquicos e, consequentemente, a aproximação dos colaboradores num processo integrado e sinérgico, onde interagem empresa e clientes.

E estreitando consideravelmente essa relação, uma vez que por ter este perfil, tais aprendem as necessidades dos seus clientes, adapta a sua oferta para atendimento das exigências do mercado.

Para quem quer saber mais sobre a utilização de Sistemas de Gestão online da Produção – MES e suas vantagens, sugerimos a leitura dos seguintes artigos:

Falando especificamente da Industria 4.0 temos também os seguintes artigos:

POR QUE A INDUSTRIA 4.0 É SINÔNIMO DE MANUFATURA AVANÇADA?