2.0 Cruzando a fronteira do real-virtual para o virtual-real.

Na primeira fase de uma implantação do MÊS, os desafios como a definição da equipe do projeto e a estruturação da infraestrutura, a definição dos pontos de coletas de dados e implantação do hardware e software de monitoramento não é mais do que a preparação da mochila para a caminhada que virá após o sistema ficar online.

Será necessário garantir o apontamento dos dados, a atualização dos cadastros e um time focado no VER e AGIR para que os indicadores e alertas que se apresentam automaticamente garantam a tomada de decisão acertada. (link para conteúdo do curso Ver e Agir)

É muito comum nesta fase, às informações ficarem apenas com um ou outro gestor.Normalmente o líder do time de implantação do piloto não é mesmo que ira tocar a gestão do projeto após a expansão. De uma forma geral, se faz necessário que o máximo de pessoas e departamentos se envolvam na atualização, analise e validação dos dados a fim de que o sucesso do projeto seja a validação de um programa de gestão voltado para busca da excelência e alta performance da produção que na pratica não produz sozinha pois depende das diversas áreas de apoio para alcançar os resultados.

Dito de outra forma, não basta a melhor infraestrutura de TI se a manutenção das maquinas e equipamentos da produção foi deficiente, assim como não basta um departamento de qualidade focado no controle e garantia das especificações do cliente se a equipe de engenharia não garantir os requisitos do processo.

E mesmo que toda a produção e as áreas de apoio não sustentaram o resultado se a logística e a área de recursos humanos também estiveram alinhadas com as estratégias do negócio. A organização é orgânica no sentido que as partes estão inter-relacionadas com o objetivo final de produzir no menor custo mas com o máximo de qualidade, isso é ser produtivo e competitivo, por isso todas as áreas da empresa estão envolvidas no resultado da produção.

Por isso dissemos que nesta fase o real-virtual, ou seja, aqueles dados que se acreditava ser reais antes da implantação dos sistema podem parecer virtuais, ou seja, totalmente diferente do que a realidade irá mostrar mas a partir deste ponto, somente os dados reais serão validos como informações e nisso a importância de que todos envolvidos no projeto, garantam a atualização dos dados cadastrados, os apontamentos que qualificam os dados imputados e a analise dos relatórios com a correta tomada de decisão pela área gerencial passam a ser uma rotina dos envolvidos no projeto.

2.1 Testes, aliados e inimigos

Nesta fase começará os testes de resistência que formaram os aliados e inimigos do projeto. Mais do que “gestão da mudança” a implantação de uma nova tecnologia sempre requer uma validação dos benefícios para equipe e para os investidores.

 Dito de outra forma, o MÊS implantado deverá ser objeto de facilitação da rotina e eliminação de tarefas que não agregam valor e não o contrário. Acima de tudo, é a fase onde o Pay-back do projeto deverá ser medido e justificado, pois até aqui tempo e dinheiro foram investidos e precisam dar retorno.

Até por isso, a MDTRAINING construiu o seu modelo de negócio não apenas baseado na venda do sistema e na sua rápida implantação (em média em apenas uma semana se implanta o piloto e no primeiro mês já estamos evidenciando os resultados para a expansão e integração).

Mas sempre haverá aqueles que resistem a mudança por medo do novo e insegurança de conseguir avançar estes serão seus maiores inimigos, ou aliadas serão exatamente o que pensam o oposto e pasmem, se eles forem minoria, poderão  ir para o seu concorrente tocar um projeto com toda qualificação e experiência adquirida.

 Não é pouco comum, a saída de pessoas importante do projeto e até nisso pensamos como garantir que você vença os testes, treinamentos como o de OEE, CEP e MASP dão base e sustentáculo para os pilares do projetos começarem a subir, mas ainda assim formar  Usuários – Chave e  Multiplicadores através do Ver e Agir (links para os conteúdos) são essências. Além disso, iniciar projetos de Melhoria Especifica de media e longo prazo mas com foco no resultado podem ser um diferencial e nisso que nosso parceiro Soares Consultoria atua. Ou seja, você não estará sozinho nesta fase de onde desafios ficarão nível hard.  Acima de tudo não andarás no escuro, pois a luz que o piloto trouxe será o guia para direcionar a caminhada para entrar e sair dessa profunda caverna.

2.2 Aproximação da Caverna Profunda

Platão tem uma famosa alegoria para demostram o quanto estamos presos numa realidade de sombras e como ir até a luz pode ser fantástico mas voltar para a caverna em resgate dos que não foram podem ser arriscado. Vencido os testes e validado os resultados da implantação, chega a hora de envolver as demais áreas de suporte para estarem conosco nesta nova fase, e apesar de todo aprendizado nos testes anteriores e deste ainda não ser o teste final, será novamente uma batalha de titãs querer levar luz onde a trevas sem o devido respaldo.

Questionamento sobre os apontamentos ou o funcionamento correto do sistema,ou seja, apontar os defeitos do chão de fábrica como problemas alheios aos dos demais departamentos são mais comuns do que a reflexão sobre “o que podemos fazer com o que aprendemos ou como solucionar os erros que estão impactando o nosso resultado”

2.3 Provação

www.hdnicewallpapers.com

A produção não realiza o planejado pelo PCP e ainda que o plano seja fora da realidade e sem controle é mais comum ouvirmos que o plano foi feito quem não realizou foram eles da produção, as faltas e absenteísmos o RH delega pro líder produção resolver, a qualidade só inspeciona e reprova sem definir as causas comuns e especiais de variação de processo que poderiam garantir menos refugo e retrabalho, a Manutenção culpa a Produção pela Quebra e a falta de preventiva é justificada pela euforia do PCP em apenas produzir sem parar e quando o PCP , Manutenção e Produção entram em acordo para realizar as preventivas o departamento de Compras e Financeiro não foi envolvido para garantir as pelas de reposição. 

Quando tudo isso é resolvido, descobre-se com o envolvimento do Financeiro que a parte Fiscal ou mesmo o gasto com Energia, Agua e Gás estão fora de Controle e não vai adiantar produzir mais se Vendas não conseguir “empurrar “ aquilo tudo para o cliente.

2.4 Recompensa

Para cada um desses problemas temos uma solução e por isso afirmamos ter a solução completa. Nosso modulo PCP não é baseado em Simulação como é comum quando se usam ferramentas como APS ou Excel, usamos dados reais para mostrar o que está acontecendo agora e qual o impacto disso no sequenciamento da Produção.

O Modulo Manutenção definirá de forma correta o controle de ordens de serviço e as horas de máquinas parada são registradas pela máquina e não pelo operador.

O Modulo CEP poderá estar ligado diretamente a máquina aos instrumentos de controle tais como paquímetros e balanças digitais para gerar automática os gráficos de controle e os índices de cp e cpk que antes apenas os engenheiros mais qualificados saberiam calcular e apresentar, tudo baseado na realidade e não na interpretação da realidade.

Desta forma, todas as informações estão disponíveis sem custo adicional por usuário e de fácil acesso nos computadores, notebook e celulares de gestores técnicos e analistas.

Algumas empresas utilizam os que antigamente perdiam tempo transformando os apontamento de produção em planilhas e gráficos de resultados em uma torre de controle que avisa as áreas de apoios sobre as perdas de parada, performance e refugo.

Ou mesmo é possível configurar o sistema para que emita disparos automáticos para os emails dos responsáveis, O Modulo TV evidencia para toda fábrica o status da produção e até o RH pode saber em tempo real o impacto do absenteísmo e da falta de treinamento da equipe de produção e ser estratégico para empresa ao promover qualidade vida aos trabalhadores através do desenvolvimento do quociente humano. 

Continua…