O uso da Inteligência Artificial (IA) na automação de processos já existe a algum tempo, mas novos métodos estão aparecendo, abrindo um leque de possibilidades que mostra claramente que a IA é efetivamente importante para a redução de custos, desperdícios e erros mas que acima de tudo são as pessoas geram o aumento da produtividade e qualidade dos produtos e processos industriais.

20150509_ldp005_0

O aumento nas pesquisas relacionadas à IA (Inteligência Artificial) faz com que exista cada vez mais efetividade e sucesso na resolução de problemas relativos à indústria, com destaque para a automação de processos. Caminhamos para um futuro promissor nesta área, na medida em que novas soluções colocam processos a caminho da excelência, utilizando os recursos da Inteligência Artificial.

Atualmente, e cada vez mais, busca-se desenvolver sistemas especialistas, capazes de tomadas de decisão e acima de tudo, que possam vir a superar seus modelos primordiais: nós, os humanos. O que antes era feito por muitas pessoas, e terminava por tomar delas tempo imprescindível para o melhoramento individual, hoje é resolvido utilizando-se técnicas de Inteligência Artificial aliadas à informática, mecânica, engenharia, etc.

Contudo, não são apenas essas as vantagens da aplicação da inteligência artificial na automação de processos industriais. As indústrias são processos produtivos emaranhados interagindo entre si. Departamentais ou interdepartamentais, fixos ou variáveis, os processos constroem o resultado na indústria. Por isso que, hoje em dia, a automação dos processos industriais se relaciona com Inteligência Artificial dentro do paradigma da indústria 4.0. Mas o objetivo deste artigo é mostrar também que o crescimento, a sustentabilidade e a sobrevivência das indústrias precisam ir além da simples automação dos processos.

ai

O projeto de um sistema automatizado para uso industrial, por exemplo, deve ter a premissa da segurança. Não queremos apenas dizer que um operador humano pode acidentalmente cometer erros ao operar uma máquina manualmente, mas um sistema industrial automatizado não pode cometer erros que coloquem em risco a vida e a integridade das pessoas.

Sabemos que neste sentido a questão da segurança dos processos industriais é um fator chave para o uso da IA e podemos citar como exemplos as máquinas projetadas para trabalhar em ambientes de temperaturas extremas, locais explosivos, fundição, processos químicos e outros ambientes que envolvem riscos potenciais para pessoas.

Máquinas que utilizam programação avançada fornecem segurança máxima e permitem que seus operadores possam focar em outras exigências do processo. Além disso, hoje em dia, alertas de segurança, manutenção preventiva ou a simples entre as áreas de apoio ao chão de fabricas podem ser emitidos por sistemas de gestão da produção online.

supply-chain-artificial-intelligence-e1455226266635

Por conta disso, vemos claramente que a Inteligência artificial aplicada à automação industrial aumenta também a produtividade, já que máquinas automáticas e capazes de tomar decisões simples permitem o alcance de ciclos de produção mais rápidos com maior eficiência e de fácil replicação, o que seria impossível para o operador humano, cujos resultados são variáveis.

Na mesma esteira de benefícios vem a redução de custos de instalações, uma vez que o rápido retorno sobre o investimento (ROI) pode ser obtido através do aumento na produtividade e eficiência. Sistemas automatizados especialmente projetados para executar diferentes métodos de produção podem otimizar a realização de tarefas extras.

Ademais, a maioria dos sistemas automatizados é concebida para economizar energia elétrica. Já que, a perda de tempo nos processos gera desperdício energético, vale lembrar que do total de energia consumida no Brasil, aproximadamente 43% é consumida pelo setor industrial. Maquinário inteligente é sinônimo de economia. Somado a isso, o uso inteligente de recursos simplifica as tarefas de trabalho intensivo e minimiza a criação de materiais e resíduos.

artificial-intelligence-and-disruptive-technologies_gallerylarge

 A qualidade é outro fator chave: Quando os fabricantes utilizam a automação industrial, eles eliminam os problemas de controle de qualidade relacionados ao erro humano. Sem essa variável, os processos podem ser cuidadosamente regulados e controlados, de modo que a qualidade do produto final seja mais consistente. O resultado é a diminuição ou eliminação de erros de processo e consequentemente aumento de qualidade. Tudo isso resulta na tão sonhada vantagem competitiva, proporcionando às empresas de a capacidade de estar sempre à frente dos seus concorrentes, permanecendo fortes diante de turbulências econômicas e ameaças externas.

Desta forma, sabemos que o bom aproveitamento da inteligência gera vantagem competitiva e agrega valor nos processos industriais. Processos sólidos, ou seja, com baixo índice de inconsistências, geram altos índices de lucratividade, não só financeira, mas também em forma de capital social e satisfação dos colaboradores.

Uma indústria baseada em processos consistentes economizará tempo e consequentemente diminuirá o desgaste físico e mental de seus operadores, técnicos e gestores. Isso significa que é preciso saber diferenciar as competências individuais e o material humano da atribuição da máquina. Assim para o melhor aproveitamento da inteligência na indústria exige se obter o melhor de cada operador, processo e máquina.

hal_9000

Porém, IA não é milagre, e muito menos pode substituir o componente humano. Não basta, portanto, que a IA entregue pronto os dados de custo ou produtividade para a obtenção de lucro holístico, ou seja, capital financeiro aliado a sustentabilidade é cada vez mais urgente solucionar problemas complexos em processos produtivos garantindo segurança, qualidade, produtividade algo onde a inteligência artificial, a tecnologia e o aprendizado profundo serão apenas ferramentas para a nossa inteligência natural e humana.