Imagine uma “fábrica perfeita”.  Nela, as máquinas funcionariam 100% do tempo com 100% da capacidade produzindo cada produto fabricado com 100% qualidade. Na vida real essa fábrica é possível? Nós da MD Training sabemos que não. E você também.

 De fato, a luta diária de quem atua no chão de fábrica é constante para alcançar o máximo da eficiência da máquina, mas esta perfeição de 100% não é uma realidade encontrada na rotina das manufaturas.

beneficios-automacao-industrial

O Dr. Seiichi Nakajima, que desenvolveu a métrica do OEE, escreveu o livro TPM: TOTAL PRODUCTIVE MAINTENCE (em português: Manutenção Produtiva Total) que até hoje é uma referência para os que buscam atingir o máximo da produtividade e qualidade industrial.  Já no Prefácio, o autor afirma que:

TPM significa a Falha Zero e Quebra Zero das máquinas, ao lado do defeito zero nos produtos e perda zero no processo. Representa a mola mestra do desenvolvimento e otimização da performance de uma indústria, através da maximização da eficiência das máquinas.”

O autor deixa claro que a incapacidade dos equipamentos para alcançar pleno potencial de produtividade vem das perdas de tempo geradas por: inatividade, velocidade e defeito.

As perdas de tempo por inatividade ocorrem devido às paradas de máquinas e quanto maior a inatividade pior será a disponibilidade da máquina para produzir. A velocidade, por sua vez, é a relação entre o ciclo de produção esperado e o ciclo realizado. Cada produto tem um tempo de fabricação especifico (também chamado de ciclo padrão) que está diretamente relacionado aos parâmetros ajustados na máquina. Perde-se tempo de performance quando o ritmo da máquina está abaixo do planejado.

Assim como haverá perdas de tempo se o equipamento estiver produzindo defeito, ou refugo, afetam o índice qualidade da produção. Desta análise, nasceu o conceito de Overall Equipment Effectiveness que em português ficou conhecido como Eficácia Global de Equipamento ou apenas OEE.

Qualquer fábrica, independente de ter um OEE de 20, 40 ou 60 pode (e deve) fazer hoje melhor do que foi feito ontem e buscar fazer amanhã melhor do que foi feito hoje: melhorar continuamente seus resultados para chegar o mais próximo possível dos 100% do seu potencial.

potencial-industria

As indústrias que não querem ter prejuízo devem avaliar e buscar soluções para manter e aumentar a produtividade, disponibilidade, performance e qualidade dia a  dia. Esta otimização garante o melhor aproveitamento dos recursos e faz a competitividade, a produtividade e consequentemente o faturamento desta indústria também aumentam.

Lucro é diferença do preço pago pelo cliente e custo gasto para produzi-lo. O preço pago pelo cliente é determinado pelo mercado, porém o custo é determinado pela eficiência dos processos.

Assim, reduzindo custos, a busca pela excelência através da melhoria continua do OEE, garante ganho de produtividade com qualidade, maior competitividade e consequente aumento no lucro.

A gestão da produção focada em ganho de OEE busca como resultado a excelência e eliminação das perdas de um processo produtivo:

  • Paradas de máquina por quebra, ajustes ou set-up.
  • Redução performance ocasionada por variação de velocidade.
  • Refugo ou retrabalho que impacte negativamente a qualidade.

Qualquer parada durante o período programado para produzir impacta negativamente a disponibilidade do equipamento.

Apenas 10 minutos de interrupção no inicio, no meio e no fim de um turno de produção, representará uma perda de 1 hora e 30 minutos ao longo do dia de uma produção com 3 turnos se comportando do mesma forma.

Em seis dias da semana essa perda seria de 9 horas. Mais que um turno perdido por conta de meros 10 minutos de problemas comuns, mas não resolvidos. Somente em paradas a máquina teria uma perda de 6% na disponibilidade que impactaria negativamente no OEE e na lucratividade, distanciando o processo da busca pela excelência.

E quanto representaria no lucro de uma manufatura aumentar em 1% seu OEE?

Robert Hansen no capítulo 3 de seu livro Overall Equipment Effectiveness usa mais exemplos pra demonstrar que 1% de OEE a mais corresponde a um retorno de 3,5 a 7% de lucro.

O contingenciamento das perdas acaba sendo a única e melhor alternativa em momentos de demanda baixa, aumento do custo operacional e pressão dos clientes por preços acessíveis.

Melhorar o OEE é buscar a excelência: eliminar perdas e alavancar a rentabilidade da empresa.

A capacitação para análise e melhoria do OEE permite envolver todas as áreas da empresa e auxilia a liderança na administração de recursos de suas áreas de negócio.

 

A fim de proporcionar o desenvolvimento das competências necessárias para entender e melhorar o OEE, a MD Training oferece o treinamento de OEE com os seguintes tópicos

  • Aplicação Prática dos Conceitos de OEE:
  • Análise das Perdas por máquina, produto, ordem de produção por turno/ períodos.
  • Elaboração do Plano de Ação de Melhoria do OEE.
  • Envolver áreas suporte a produção- Participantes proporem ações práticas e objetivas, com baixo custo de investimento e que melhorem a disponibilidade, performance e qualidade.