Conheça os benefícios competitivos da quarta era, e veja como funciona a integração entre Lean e 4.0.

A quarta era industrial já começou. De países industrializados ela chega com tudo ao Brasil, de forma totalmente desafiante e expressiva. Tais recursos e facilidades de gestão em tempo real estão sendo aplicados diariamente por empresas que enxergam a oportunidade de não só elevar, mas alavancar o desempenho de seus negócios.

Cenários como estes abaixo estão se tornando cada vez mais frequentes:

  • Cloud computing, em português, computação em nuvem, é um recurso que está sendo utilizado para armazenar e acessar todos os dados, sistemas e informações de todos os processos de uma companhia via internet. Mais seguro, cômodo e ainda por cima, mais barato;
  • Interconectados com as máquinas inerentes ao processo, os coletores touch estão deixando os formulários de papel de lado: menos perda de tempo e dinheiro. O meio ambiente agradece;
  • Internet of Things (IoT), ou internet das coisas, em português, entra com o objetivo de interligar máquinas e processos que até então, na terceira era industrial, eram gerenciados separadamente. Tal integração favorece uma decisão mais assertiva, já que o campo de visão é muito mais abrangente, e holístico;
  • Machine Learning, em português, aprendizado de máquina, que vem revolucionando o processo de decisão: do humano para a máquina. Isto é, através da coleta de dados durante o processo, determinadas operações podem tomar de simples a complexas decisões sem a necessidade de interferência humana. Menor propensão ao erro, e maior efetividade.

Desta forma, neste artigo, você irá compreender quais são as vantagens competitivas adquiridas ao iniciar uma migração da terceira para a era 4.0, e entender como esta prática relaciona-se com a filosofia lean de manufatura e suas ferramentas*! E descobrir também até qual é a relação de poder do Lean 4.0 com a metodologia Seis Sigma!

COMPETITIVIDADE, SUSTENTABILIDADE E INDÚSTRIA 4.0: COMO TUDO ISTO SE RELACIONA?

A Indústria 4.0 é marcada pela era da manufatura digital. Portanto, empresas que iniciam a aderência obtém maior eficiência ao adotar um sistema composto por máquinas interconectadas, que trocam informações entre si, e são programadas para serem capazes de tomar decisões elas próprias – pelo menos, atreladas a ajustes operacionais.

Tudo isto sem a necessidade de intervenção humana, isto é, a prova de erros!

Apesar de aparentar para uma parcela considerável de empresas no Brasil um cenário utópico – principalmente para as de pequeno porte, em países mais desenvolvidos industrialmente, como os EUA e a própria Alemanha, estes recursos já fazem parte do cotidiano de grandes corporações.

Contudo, é importante ressaltar que a migração tecnológica não é realizada da noite para o dia!

Assim como no caso da implementação de metodologias de gestão, como o Lean, trata-se de um processo de implantação diário que começa com operações e demais testes piloto, e consiste não só em máquinas inteligentes, mas também na emissão e no gerenciamento de dados e informações instantâneas e confiáveis.

Fator este tido nos dias de hoje como um dos meios mais proveitosos para aumento da competitividade de um negócio, já que são indispensáveis para a mais perfeita execução de um processo decisório. Ou seja, com o propósito de elevar a produtividade, conquistar maior ganho competitivo e assegurar a sustentabilidade ao longo do tempo.

COMO INTEGRAR A FILOSOFIA E AS FERRAMENTAS DO LEAN COM A INDÚSTRIA 4.0?

Apesar da difusão do Lean Manufacturing ter ocorrido há quase 30 anos no ambiente empresarial, este sistema de gestão demonstra permanecer relevante e atual dentro de qualquer contexto, inclusive o da quarta fase da revolução industrial. A razão é simples: práticas enxutas são aplicáveis em todo cenário produtivo.

Alertas de manutenção preventiva de forma instantânea, conhecimento da previsão de data de fim de cada ordem de produção (OP), facilidades em processos de auditoria interna e externa, visualização das cartas de controle em tempo real, em conjunto com os indicadores de capacidade e capabilidade do processo, e muito mais!

Todos estes exemplos podendo ser vistos até pelo celular!

Tomando como amostra, temos o OEE – metodologia muito usada para o gerenciamento fabril, evangelizada pelo pilar melhorias específicas da Manutenção Produtiva Total, o TPM, que por sua vez é compatível com a filosofia de manufatura enxuta. Logo, quais as vantagens vinculadas à aplicação integrada da Indústria 4.0?

Inúmeras, não é verdade?

  • Indicadores sempre atualizados que proporcionam melhores tomadas de decisão pelos gestores;
  • Conhecimento em mãos via celular, tablet e/ou notebook dos atuais índices de disponibilidade, eficiência e qualidade de cada operação e máquina contemplada pela ferramenta;
  • Acionamento imediato para a equipe de manutenção perante qualquer problema imprevisto, com o envio digital instantâneo de informações cruciais para o retorno mais breve possível, como local da parada, descrição do problema, histórico e intervalo médio de resolução, e lista de causas prováveis, por exemplo;
  • Verificação do status de defeitos e refugos de cada processo;
  • Orientação e gestão de pessoas no chão de fábrica por meio da visualização dos dados e informações de produtividade do OEE atual;
  • E por aí vai…

Neste processo de integração entre Lean e Indústria 4.0, o aspecto tecnológico é estreitamente ligado à gestão. É por isto que independente do tempo, o conceito de ferramentas como o OEE, Kanban e até 5S permanecerão tanto imutáveis quanto inerentes ao uso de tecnologias mais avançadas em prol da competitividade sustentável.

PROJETOS SEIS SIGMA SÃO MAIS LUCRATIVOS NA QUARTA ERA?

Desde sua expansão ao mundo corporativo no final da década de 80, a metodologia Seis Sigma apresenta resultados extremamente rentáveis e lucrativos decorrentes de sistêmicos projetos para melhoria de desempenho quando a meta é a redução da variabilidade de um processo crítico organizacional, certo?

Entretanto, em grande parte das vezes, os dados usados para desenvolvimento destes projetos costumam ser obtidos de diferentes fontes. Logo, nem sempre um apontamento manual, uma planilha eletrônica e até mesmo um relatório do software de gestão representam informações 100% verdadeiras, não é mesmo?

Então, é neste quesito que a Indústria 4.0 e a inteligência artificial emergem, com a garantia de que dados confiáveis estão sendo gerados, e por consequência, utilizados como embasamento para novos projetos, que além de voltados a melhoria de desempenho, pode ser sujeito à elaboração de novos produtos, ideias e soluções de mercado.

LEAN 4.0: A FUSÃO DE GESTÃO COM AUTOMAÇÃO.

As diferentes fases das revoluções tecnológicas industriais costumam ser marcantes, e de fato, revolucionárias. Enquanto que a primeira, no século XVIII, ocorreu através da transição de sistemas de produção artesanal para o uso intensivo de máquinas movidas a vapor, a atual, como vimos, refere-se à época da Indústria 4.0.

Porém, aqui no Brasil, ainda existe muitas dúvidas pertinentes ao que ela representa e como funciona, e quais são seus objetivos verdadeiros. Por mais que o quarto período da revolução industrial tenha começado em 2011 na Alemanha, somente algumas empresas brasileiras enxergaram a oportunidade de otimizar seus negócios.

Como por exemplo, o caso das gigantes Ambev e Volkswagen, que para elevar a produtividade de suas operações, respectivamente, implantaram um sistema automatizado para reduzir a variabilidade de temperatura no processo de resfriamento, e desenvolveram uma simulação virtual em 3D para o uso em novos projetos e produtos.

Tais práticas condizentes com as abordagens orientadas pela quarta fase, onde através da automação, internet das coisas e computação em nuvem é possível desenvolver modelos, sistemas e ferramentas para a gestão instantânea e mais eficaz de uma das áreas que costumam ser mais instáveis – e rentáveis – de uma organização: a produção.

QUER SABER MAIS A FUNDO COMO FUNCIONA REALMENTE A INDÚSTRIA 4.0?

“As mudanças são tão profundas que, na perspectiva da história da humanidade, nunca houve um momento tão potencialmente promissor e perigoso.”  Klauss Schwab

Gostou do artigo e quer ficar por dentro da Indústria 4.0 e demais ferramentas de gestão?

Se a resposta for sim, em primeiro lugar, indico o artigo “Sua empresa está pronta para a Indústria 4.0?”!

Em segundo, faço o convite que acompanhe, e não deixe de participar, do nosso blog, compartilhando e comentando suas opiniões e experiências a respeito deste meio. E lembre-se, de que se ao surgir alguma dúvida, ou até mesmo quiser sugerir a confecção de um novo post: fique à vontade! O principal cliente do blog é você!

O LEAN AINDA ESTÁ NA MODA?!

A MELHORIA CONTÍNUA ESTÁ SENDO DESCONTINUADA?

DOCUMENTAR PROCESSOS PARA USO OU PARA ISO?

POR QUE ‘EXCELENCIA OPERACIONAL’ É ESSENCIAL PARA OS NEGÓCIOS (E COMO ALCANÇA-LA)?

SUA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA A INDÚSTRIA 4.0?

SEIS PASSOS PARA ATINGIR A MATURIDADE 4.0?

POR QUE INDÚSTRIA 4.0 É SINÔNIMO DE MANUFATURA AVANÇADA?

INDUSTRIA 4.0: FIM DA PRODUÇÃO EM MASSA OU NOVA ERA DA CUSTOMIZAÇÃO EM MASSA?

SUA EXCELENCIA, A EXCELENCIA!

7 PASSOS PARA RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS CONTADOS ATRAVÉS DAS 7 MARAVILHAS DO MUNDO ANTIGO

RESOLVENDO PROBLEMAS COMPLEXOS DE FORMA SIMPLES OU CORTE CERTO COM A NAVALHA DE OCKHAM